quinta-feira, 25 de agosto de 2011

ÓLEOS ESSENCIAIS E CÁLCULOS

Monoterpenos são uma classe química típica dos óleos essenciais e que possuem entre outras funções, remarcada ação solvente de massas, entumecimentos, cistos e cristais (cálculos) no organismo. São também anti-sépticos e/ou expectorantes.
Pesquisas do Laboratório Farmacêutico Alemão Rowa comprovam a grande eficácia do uso de monoterpenos na dissolução de cálculos renais e vesiculares. O laboratório possui hoje em circulação, especialmente no mercado europeu, dois medicamentos compostos a base de monoterpenos de óleos essenciais , o Rowatinex (cálculos renais) e o Rowachol (cálculos da vesícula).
Alguns óleos essenciais como os óleos essenciais de pinheiro (Pinus sylvestris, taeda, elliotti, etc) têm mostrado muita eficácia neste sentido dado ao seu concentrado teor de pinenos. O pinheiro silvestre em especial, além do pineno, ainda possui um componente chamado acetato-bornílico, típico de óleos de abetos e que possui ação anti-espasmódica útil em cólicas renais e vesiculares, e efeito equilibrador de hormônios da dor e stress produzidos pelas glândulas supra-renais.
Comparado às dosagens recomendadas pelo laboratório, o óleo de pinheiro silvestre estaria sendo utilizado internamente na dosagem de 3 gotas 3 x ao dia como preventivo e 5 gotas 4-5 x ao dia para dissolução dos cálculos.
A vantagem do uso deste óleo essencial é a ausência de contra-indicações, salvo casos de enjôo ou inadaptação ao seu uso. É também uma alternativa bem mais barata e acessível a ser tentada no tratamento de cálculos, especialmente no Brasil onde estes medicamentos não são comercializados. É de se observar também que em resposta a um e-mail enviado ao laboratório Rowa fomos informados de que não existem casos relatados de cálculos migrados e parados nos ureteres.
Alguns óleos essenciais como o anis-estrelado e erva-doce (anetol) e ammi-visnaga (cromonas) ainda se mostram mais fortes na prevenção de cólicas. O tratamento para cálculos vesiculares pode ter agregado ainda óleo de hortelã (mentol) de excelente ação descongestionante hepato-vesicular por estimular o fluxo biliar.
Fizemos uma experiência in vitro com o óleo de pinheiro silvestre e cálculos de oxalato de cálcio. Os cálculos, extremamente resistentes, foram deixados em contatos com o óleo de pinheiro por cerca de 1 mês, sendo que com apenas 1 semana de exposição ao óleo começaram a perder resistência e fragmentar-se. Com duas semanas houve maior fragmentação, não havendo diferenças na 3ªou 4ª semanas.

Por Fábián László – Pesquisador e Aromaterapeuta

3 comentários:

  1. Parabéns pelo estudo e excelente indicação! Ciência natural é uma necessidade cada vez mais presente nos tempos atuais!

    ResponderExcluir
  2. Gratidão por compartilhar,não é somente esse remédio que é muito eficaz que a Anvisa proibiu o mesmo aconteceu com o Pedrim que diziam também ser extremamente eficaz,é realmente difícil ser brasileiro pagamos tudo e mais em impostos e tributações excessivas e ainda esse (des)governo tem que "lucrar" com o sofrimento do povo.
    Mas Graças a Deus podemos comprar estes medicamentos pela internet!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, infelizmente... nosso país tem muito a aprender! Haja visto o tanto de medicamentos que foram banidos ou extremamente controlados lá fora, e aqui são vendidos em prateleiras self-service, sem sequer se pedir receita! E ainda fazem propaganda na televisão.... mas a esperança é a última que morre não é? Temos que ter Fé que isso vai mudar. Enquanto não muda, o jeito é tentar trazer de fora (e pagar as taxas exorbitantes que o Governo cobra....mais do que o dobro do valor do remédio muitas vezes), ou buscar médicos que estudam, conhecem e prescrevem o uso dos óleos essenciais.... Feliz 2016 e obrigada pelo contato!

      Excluir